Make your own free website on Tripod.com

ANÁLISE DAS CRENÇAS DA FÉ BAHÁ'Í



ORIGEM: Mirza Ali Muhammad(1819-1850) nasceu no sul do Irã, na cidade de Shiráz. Desde criança se destacava, descendente de Maomé, foi educado nos ensinos do Alcorão.Tinha por hábito fazer perguntas difíceis para em seguida responder, surpreendendo assim os mais velhos; enquanto outras crianças brincavam, dedicava-se a prática da oração.Em 1844, aos 25 anos reivindicou para si o título de "Bab"(porta), aquele que anunciaria a chegada de um novo profeta.Porém, devido ao fanatismo religioso do clero muçulmano, Mirza foi perseguido e por fim fuzilado. Um de seus seguidores, Mirza Husayn Ali(1817-1892), conhecido também como Baha' ullah("A Glória de Deus"), convenceu-se que era o próprio profeta sobre o qual Bab falara. Foi responsável por organizar os ensinamentos do novo movimento que liderou até sua morte em 1892. É dito que Baha'ullah quando criança nunca precisou ir a escola, era muito sábio, e mesmo pessoas mais idosas e com bastante conhecimento o procuravam para consultar.Apesar de possuir muito dinheiro não gastava consigo mesmo, mas usava-o para ajudar os pobres e necessitados, cabendo-lhe na época o título de "pai dos pobres". Durante sua vida sofreu uma série de exílios, aprisionamentos e perseguições, que duraram por volta de quarenta anos. Suas riquezas e propriedades foram confiscadas.Faleceu na cidade de Bahjí, Israel, no dia 28 de maio de 1892, aos 75 anos de idade.
Então seu filho mais velho Abdul Baha(1844-1921, "O Servo de Deus") assumiu a liderança do movimento, durante sua gestão o Bahaísmo solidificou sua expansão para outros países. Após sua morte, Shogi Effendi, neto de Abdul tornou-se o novo líder.Este, durante trinta e seis anos, organizou a ordem administrativa Bahá'i e as tradições das sagradas escrituras da seita. Faleceu em 1957 e deixou uma comunidade mundial bem organizada. Estabeleceu um número de Bahaís proeminentes como "Mãos da Causa de Deus", seus deveres especiais são ensinar e proteger a fé Bahaí por todo o mundo.
Desde 1963 a Casa Universal da Justiça dirige a fé, estabelecida em mais de 395 países e território. Está localizada em Haifa, Israel, e é composta por um grupo de nove adeptos eleitos democraticamente.
CHEGADA AO BRASIL:
A Comunidade Bahá'í está estabelecida no Brasil desde fevereiro de 1921, com a vinda da Sra. Leonora Holsapple Armstrong. A Sra. Armstrong faleceu na Bahia em 1980, é considerada "mãe espiritual dos bahá'is da América do Sul". Hoje os bahá'ís formam um contingente de aproximadamente 57.000 pessoas, das mais diversas classes sociais, culturais e econômicas, residentes em aproximadamente 1.215 cidades e municípios brasileiros, em todas as regiões.

FONTES DE AUTORIDADE:
Possuem mais de cem contribuições literárias de Baha' Ullah, entre as quais:
1. Al-Kitab al-Aqdas: "O Livro Santíssimo", o qual contém as leis que governam o Bahaísmo.
2. Ketab-e Iqan:"O Livro das Certeza", é uma explanação clara das escrituras do judaísmo, do cristianismo e do islamismo.
3. Os Sete Vales: Foi escrito em resposta ao pedido de um eminente sufi, descrevendo a jornada de um homem para Deus.
4. As Palavras Ocultas:Consideradas de uma beleza extraordinária mesmo entre a literatura da Pérsia.

CRENÇAS:
1.A Unidade da Humanidade, todos são filhos de Deus.
Os adeptos da "fé bahá'í" freqüentemente declaram que "a terra é apenas um país e os seres humanos são os cidadãos", extrapolam o sentido da igualdade humana quando vêem todos os homens como filhos de Deus.
Refutação: Ainda que todos os humanos sejam criação de Deus, nem todos são filhos de Deus. A única maneira de nos tornarmos filhos de Deus é crendo em Jesus Cristo como único e suficiente Salvador (João 1:12, 8:42-44; I João 3:10)
2.A Unidade das Religiões, todas levam a Deus.
Afirmam que: "Deus é um, a religião é uma, a humanidade é uma... o objetivo da criação humana é conhecer e adorar a Deus... Todas as religiões provêm de um mesmo Deus..." .
Refutação:
Essa afirmativa é enganosa porque o único Caminho que leva a Deus, é Jesus Cristo(João 14:6; Atos 4:12; I Timóteo 2:5). Se as religiões dos homens fossem suficientes, Deus não teria enviado Seu Filho para morrer em favor da humanidade perdida(Salmo 14:1-4; João 3:16). Não há como conciliar os ensinos falsos do Budismo, Islamismo, Hinduísmo, Zoroastrismo, Espiritismo e outros com a pura revelação da Palavra de Deus, a Bíblia.
3.O ensino de que Jesus é apenas um profeta de Deus
Colocam Jesus em "pé de igualdade" com Abraão, Moisés,Maomé, Krishna, Budá, Zoroastro, o Bab e Baha' Ullah.
Refutação: Essa é uma doutrina anticristã, pois nega a exclusividade do Senhor Jesus (Atos 4:12; João 14:6, 4:25-26; Colossenses 1:18; I João 4:14-15). Jesus é mais do que um profeta, Ele é o próprio Deus (Hebreus 1:1-8, 3:1-6; João 10:30, 14:8-11, 1:1,14; Romanos 9:5; II Pedro 1:1)
4.O falso caminho para a paz mundial
De acordo com a "fé bahá'í ": "o homem deve dar o último e mais avançado passo - as nações do mundo, grandes e pequenas, fracas e fortes, devem se unir em uma comunidade mundial, com uma economia mundial, para trazer paz e felicidade a toda a humanidade"
Refutação: O princípio para o estabelecimento da paz mundial da "fé bahá'í" é o mesmo que será apregoado pelo anticristo (I Tessalonicenses 45:3; Daniel 9:27; II Tessalonicenses 2:9-12) A paz e a felicidade só podem ser alcançadas por meio de Cristo(Isaías 9:6; Romanos 5:1; Filipenses 3:1, 4:4; Efésios 2:14; I Pedro 1:8; João 16:33)
5.Ensinam que não existe o pecado, o céu, o diabo e o inferno
Por não admitirem a existência do pecado, também não ensinam a necessidade da redenção. O diabo é visto como não possuindo existência real, sendo apenas um mito cristão. Quanto ao céu e o inferno são condições ou estados, e não locais.
Refutação: É pura insensatez negar a existência do pecado, basta apenas ver o estrago que ele tem causado na humanidade durante os séculos.(Romanos 1:18-32, 3:23; I João 3:8, 10) Negar a existência do diabo e do inferno é uma forma camuflada de cooperar com a ação das trevas no mundo.Afinal porque se preocupar com o que supostamente "não existe"?Assim torna-se mais fácil do diabo enganar e levar ao inferno (João 8:44; I João 3:8-15; Apocalipse 21:8, 20:14). Ensinar que o pecado não existe, e que não precisamos de redenção, é desonrar a Jesus e chamá-lo de mentiroso, negando assim seu sacrifício eterno em favor da humanidade perdida.(Mateus 26:28; Hebreus 9:12,14,26,28; I João 2:2; Romanos 3:25) O céu é um local real para onde o justo vai após a sua morte (Lucas 23:43; João 14:2-3, 3:31;I Pedro 1:4;Hebreus 11:14-16).
6.Negação da encarnação de Deus em Cristo e da ressurreição
Admitir que Jesus é o Deus vivo encarnado, e que Ele venceu a morte ressuscitando dentre os mortos, é considerá-lo superior aos demais profetas honrados pelos adeptos da "fé bahá'í, o que para eles é inadmissível.
Refutação: A "fé bahá'í" nega doutrinas essenciais da fé cristã. Rejeitar o fato que Jesus é o Deus encarnado é fechar a porta da salvação (João 8:58-59,24). Se Jesus fosse apenas um simples profeta, não teríamos uma eterna redenção (Hebreus 9:12; Atos 20:28). Deus se manifestou em carne, ou seja, se encarnou (João 1:1,14; I Timóteo 3:16; I João 4:2-3). A ressurreição de Cristo é um outro fato que não pode ser negado (I Coríntios 15:14-20).
7.Negação da personalidade do Espírito Santo
Admitem uma doutrina semelhante a das Testemunhas de Jeová, afirmando que o Espírito Santo é uma força ou energia ativa impessoal de Deus.
Refutação: Ao lermos a descrição bíblica sobre o Espírito Santo, é ilógico chegarmos a conclusão de que o Espírito Santo não é uma pessoa. Porventura uma energia pode testificar(João 16:26), convencer(João 16:8), ensinar(João 14:26), decidir (Atos 15:28), falar (Atos 10:19),e até mesmo ser entristecido( Efésios 4:3)? Os adeptos da "fé bahá'í" desonram o Espírito Santo por desconsiderarem o testemunho que Ele deu de Si mesmo, como Pessoa, nas páginas da Bíblia.
Conclusão:
Reconhecemos as obras sociais promovidas pela "fé bahá'í", no entanto isso ainda não é o bastante, quando por trás das mesmas estão um conjunto de crenças antibíblicas e que promovem um movimento religioso separado da Verdade que é Jesus Cristo.

x fechar