Make your own free website on Tripod.com


A QUESTÃO DO USO DO VÉU E DO ÓSCULO SANTO
 

Em diálogos que temos com os adeptos da Congregação Cristã no Brasil(CCB), fica evidente nesse grupo religioso a firme convicção de serem "a única igreja verdadeira", isso por acreditarem serem os que realmente obedecem todos os mandamentos de Deus, que ao ver deles inclui: o uso do "véu" pelas mulheres e a saudação com "ósculo santo". Ao contrário do que se possa pensar, a CCB possui a sua própria literatura, onde realmente fundamentam aquilo em que crêem.

No livreto publicado pela seita "Pontos de Doutrina e da Fé que uma vez foi dada aos santos", que é colocado na mão de todo batizado na mesma,lemos na página 16:
VÉU
"Sempre que a mulher orar ou profetizar deve estar com a cabeça coberta; é necessário estar atenta para em nenhum caso ofender a palavra de Deus. esta não se contradiz; a sabedoria do Senhor não nos deixou um estatuto imperfeito."
E no mesmo livreto, página 7 lemos sobre o ósculo santo:
ÓSCULO SANTO
O ósculo santo deve ser dado de coração, na despedida do serviço ou em caso de viagem, todavia sempre entre irmãos e entre irmãs de per si."
Tais doutrinas são de importância capital para a CCB, visto que de acordo com o próprio livreto as mesmas foram dadas e reveladas por Deus, então vejamos:
"Devido à necessidade sempre crescente da Obra de Deus, o Senhor fez compreender a seus servos nas Reuniões Gerais de 1974 que seria necessária a nova impressão do resumo da Convenção das Igrejas da Congregação Cristã no Brasil do ano de 1936...Entretanto, no demais permanecemos na revelação da parte de Deus que os servos de Deus tiveram na ocasião e, que foi a razão do grande progresso desta obra no Brasil e no mundo. Para não se tirar o sabor do que foi feito seguiremos a mesma ordem e disposição do que o Senhor determinou na simplicidade e sempre com a guia do Espírito Santo,..." (Pontos de Doutrina e da Fé que uma vez foi dada aos santos, página 1)
"Os presentes ensinamentos devem ser lidos nas Congregações pelo menos duas vezes por ano e em todas as oportunidades em que houver uma falta de compreensão a qualquer dessas resoluções dadas pelo Senhor aos seus servos." (idem,página 19)
"A palavra de Deus ensinada à sua Igreja não é para ser discutida, porém obedecida; só assim se honra ao Senhor."(idem, página 19)


Com isso fica evidente a razão pela qual a CCB acredita que as denominações evangélicas que não adotam o uso do "véu" e a saudação com "ósculo santo", bem como as demais doutrinas por eles cridas, estão em flagrante desobediência às determinações divinas, e não devem receber nenhum tipo de apoio. O adepto da CCB é ensinado a jamais questionar as doutrinas que segundo entendem receberam via "revelação divina", e ainda continuam a receber por meio dos anciãos que anualmente se reúnem na igreja-mãe do Brás, duvidar da origem dessas supostas revelações divinas, é se opor as próprias "determinações do Espírito Santo". Por isso dificilmente o adepto da CCB estará disposto a ouvir um crente em Cristo questionar suas doutrinas. No pensamento dos adeptos da CCB, Deus só tem um sistema doutrinário, e esse é o que é encontrado em sua igreja, tudo lá é feito de acordo com o que foi "revelado pelo Espírito". Esse é o distintivo que separa a sua "igreja verdadeira e única", das igrejas falsas, que são as denominações evangélicas, por isso quando se aproximam dos evangélicos não é para terem comunhão, mas para fazerem proselitismo e desencaminha-los para a "verdadeira graça de Deus" que ao ver deles é sua organização religiosa,onde toda a "verdade" se encontra. Doutrinas como o uso do "véu" e a saudação com "ósculo santo" são por demais enfatizadas pelos adeptos da CCB em diálogos com evangélicos, visto terem um "aparente" apoio bíblico. Em relação ao véu, é citado - I Coríntios 11:2-16(em especial os versos 3-13), e sobre o ósculo santo - Romanos 16:16; I Coríntios 16:20; I Tessalonicenses 5:26 e I Pedro 5:14. O argumento que utilizam é o seguinte -"devemos ser obedientes a Deus em tudo, inclusive acatando o uso do véu e o ósculo santo, que são mandamentos bíblicos para os dias de hoje, como só a CCB aceita essas doutrinas, somente ela é a igreja correta." O crente ingênuo e imaturo acreditando ser a CCB uma denominação evangélica pentecostal que"está cumprindo com mais perfeição os ensinamentos da Bíblia", cai na artimanha do maligno, e acaba negando a Jesus aceitando um rebatismo na novel seita. Desenvolvemos a presente análise para dar uma resposta bíblica e cristã aos ataques da CCB.

1.O USO DO VÉU

A única passagem bíblica usada pela CCB para tentar "provar" essa doutrina é I Coríntios 11:2-16, então vamos a nossa análise: O escritor da primeira carta aos Coríntios foi o apóstolo Paulo, cujo ministério principal era alcançar os gentios[ou seja, os que não eram judeus] para Cristo(Gálatas 1:16). A cidade de Corinto foi a maior, a mais opulenta e a mais importante cidade da Grécia. Situada no istmo deste país, orgulhava-se dos seus dois portos, pelos quais passava o comércio do mundo. Foi terra de grande luxo e licenciosidade, o lugar do culto à deusa Vênus, acompanhada de ritos vergonhosos. Paulo passou dezoito meses evangelizando em Corinto, no fim da segunda viagem missionária(Atos 18:1-18), e fundou uma igreja. Não se passou muito tempo, entretanto, até que se levantasse erros sérios quanto a doutrina e prática, que ameaçavam o bem estar e até mesmo a sobrevivência da comunidade cristã ali existente, levando Paulo a lhes escrever as suas cartas. Ao lermos o texto todo de I Coríntios 11, não vemos nenhuma imposição da parte de Paulo de uso do véu artificial para as mulheres cristãs. Na verdade a doutrina do "uso do véu", ou melhor de um pedacinho de pano sobre o cabelo que as mulheres da CCB utilizam, foi copiada da Igreja Católica e não da Bíblia.Isso afirmamos porque:

 

1.1 O véu de acordo com a Bíblia
É impossível conciliar o "véu"(um pedacinho de pano ou lenço posto sobre o cabelo) usado pelas adeptas da CCB, com o véu material mencionado na Bíblia, que cobria o rosto. Veja os textos abaixo e comprove.
A.Rebeca e Tamar:
"e perguntou ao servo:Quem é aquele homem que vem pelo campo ao nosso encontro? É o meu senhor, respondeu. Então tomou ela o véu e se cobriu." Gênesis 24:65
"Então, ela despiu as vestes de sua viuvez, e, cobrindo-se com um véu, se disfarçou, e se assentou à entrada de Enaim, no caminho de Timna; pois via que Selá já era homem, e ela não lhe fora dado por mulher. Vendo a Judá, teve-a por meretriz; pois ela havia coberto o rosto....Levantou-se ela e se foi; tirou de sobre si o véu e tornou às vestes de sua viuvez."Gênesis 38:14,19
Cobrir-se com véu material equivale a cobrir toda a cabeça, o que inclui o rosto. Alguns não conseguem entender como Judá pôde considerar Tamar como uma meretriz por utilizar o véu. No entanto ao analisarmos o contexto do capítulo e comparamos com a história dos povos antigos veremos que: Judá estava entre os habitantes pagãos de Canaã, em uma época de tosquia (verso 12). A tosquia de ovelhas era ocasião festiva(I Samuel 25:4,11,36), quando a tentação sexual seria aguçada pelo culto cananeu que incentivava a fornicação ritual como magia de fertilidade. A palavra para prostituta nos versos 21 e 22 sugere que Tamar posou como prostituta cultual, talvez para ter dobrada segurança de captar a sua vítima. O véu (verso 14), confirma isso, desde que (de acordo com a lei assíria) nenhuma prostituta, exceto uma que fosse cultual, podia usá-lo.
B.MOISÉS:
"Tendo ele acabado de falar com eles, pôs um véu sobre o rosto." Deuteronômio 33:34
"Porém, vindo Moisés perante o Senhor para falar-lhe, removia o véu até sair,(... ),Assim, pois, viam os filhos de Israel o rosto de Moisés, viam que a pele resplandecia; porém Moisés cobria de novo o rosto com o véu até entrar a falar com ele." Deuteronômio 34:34-35
Entre os homens judeus era comum uma cobertura material para o cabelo, o chamado turbante ou mitra(Êxodo 28:4,37,39, 29:6, 39:28,31; Levítico 8:9, 16:4;Ezequiel 23:25, 24:17,23; Isaías 61:10;Zacarias 3:5), no entanto o texto acima citado descreve que Moisés punha um véu, portanto cobria não apenas o cabelo, mas o rosto.
C.A SULAMITA:
"Como és formosa, querida minha, como és formosa! Os teus olhos são como os das pombas e brilham através do teu véu..." Cantares de Salomão 4:1
"Os teus lábios são como um fio de escarlata, e tua boca é formosa; as tuas faces, como romã partida, brilham através do véu." Cantares de Salomão 4:3
As tuas faces,brilham como romã partida, brilham através do véu." Cantares de Salomão 6:7
"Poma minha, que andas pelas fendas, no oculto das ladeiras mostra-me a tua face,..." Cantares de Salomão 2:14
Ao analisar os textos acima, vemos que se os olhos e a faces brilham através do véu, isso significa que o véu cobria o rosto. Em Cantares 2:14 entendemos que Salomão pede para ver a face da Sulamita, o que dentro do contexto, indica que ela deveria tirar o véu.
D.A PALAVRA DOS PROFETAS
"e dize: Assim diz o Senhor Deus: Ai das que cosem invólucros feiticeiros para todas as articulações das mãos e fazem véus para cabeças de todo tamanho, para caçarem almas!...Eis ai vou eu contra vossos invólucros feiticeiros, com que vos caçais as almas como aves,...Também rasgarei vossos véus e livrarei o meu povo das vossas mãos,..." Ezequiel 13:18-21
"os pendentes, e os braceletes, e os véus esvoaçantes; os turbantes, as cadeiazinhas para os passos, as cintas, as caixinhas de perfumes e os amuletos; os sinetes e as jóias pendentes do nariz; os vestidos de festa, os mantos, os xales e as bolsas,os espelhos, as camisas finíssimas, os atavios de cabeça[ou, toucas na ARC], e os véus grandes." Isaías 3:19-23
"E destruirá, neste monte, a máscara de rosto com que todos os povos andam cobertos e o véu com que todas as nações se escondem." Isaías 25:7
No texto de Isaías 3 temos claramente um diferencial entre véu, manto, xale e touca. Em Ezequiel 13 e em Isaías 25 temos um paralelismo deixando claro que máscara de rosto é o mesmo que véu.
E.MOISÉS CITADO NO NOVO TESTAMENTO
"E não somos como Moisés que punha um véu sobre a sua face, para que os filhos de Israel não olhassem firmemente para o fim daquilo que era transitório." II Coríntios 3:13
Paulo reconhece que Moisés serviu-se de um véu, cuja função é cobrir a face.
A conclusão a que chegamos é que o véu material mencionado na Bíblia não é um xale, um manto ou uma touca colocado sobre o cabelo, mas uma cobertura para a cabeça toda o que inclui a face.


1.2.Uma interpretação problemática

Os adeptos do Catolicismo e da CCB insistem que Paulo em I Coríntios 11 ordenava o uso do véu para as mulheres cristãs. No entanto, tal interpretação contradita outros textos claros da Bíblia e a própria mensagem de I Coríntios 11. Ademais se fossemos supor que a interpretação dessas seitas estivesse correta, elas mesmas não estariam cumprindo de maneira adequada o que acreditam. Então vejamos esses dois pontos:
A. PODERIA PAULO ESTAR SE CONTRADIZENDO EM I CORÍNTIOS 11?
Se afirmarmos que Paulo tinha em mente que as mulheres cristãs utilizassem um véu material na cabeça, estamos na verdade acusando-o de contradição com o próprio trecho em questão(I Coríntios 11) e com o restante das Escrituras. As razões para essa afirmação são as seguintes:
1.A palavra traduzida por "véu" em português em nossas Bíblias (kata, em grego) não denota um véu material, mas uma cobertura qualquer, que de acordo com o verso 14 e 15 é o cabelo comprido. Ao se referir a um véu material (peribolaiou), o faz unicamente na última parte do verso 15, declarando enfaticamente que o "cabelo foi dado em lugar de mantilha ou véu (peribolaiou [véu material]).
2.A palavra traduzida "em lugar de" (no grego: "anti") transmite a idéia de substituição. Ela é usada "para indicar que uma pessoa ou coisa é, ou deve ser substituída por outra."
3.O uso do véu não era mais praticada na sociedade greco-romana do primeiro século,sendo entretanto uma prática distintamente oriental da época. O que era comum para as mulheres judias, não era para as gregas de Corinto. Entretanto o cabelo tinha importância no contexto da sociedade grega. Tais considerações culturais tornam impossível que Paulo tivesse insistido em que as mulheres gentias de Corinto seguissem uma prática distintamente judaica.
4. Se Paulo quisesse adotar entre os gentios práticas judaicas, entraria em choque com seu próprio pensamento de não impor escrúpulos religiosos dos judeus(tais como a circuncisão) aos crentes gentios. As únicas práticas judaicas impostas aos cristãos por ele estão em Atos 15:19-20, e o uso do véu material não é sequer mencionado. A imposição de práticas judaicas aos gentios eram próprias das chamadas seitas judaizantes, que procuravam transtornar a mensagem da graça de Deus pregada por Paulo(Atos 15:1,24; Gálatas 5:1-4,12).
5.O texto de I Coríntios 11 trata claramente do comprimento do cabelo para homens e mulheres tendo em vista o costume ou natureza cultural da sociedade gentia de Corinto(verso 14). Em tal sociedade o cabelo comprido para as mulheres e o curto para os homens denotava decência (verso 6-14).
6.Em I Coríntios 11 não é o único lugar em que encontramos instruções sobre o cabelo das mulheres. Os textos de I Timóteo 2:9 e I Pedro 3:3 rejeitam o costume de trançar os cabelos(prática adotada pelas mulheres da CCB). Tendo isso em vista raciocinemos: Se o uso do véu material fosse comum entre as mulheres cristãs, qual a necessidade dessas instruções relativas ao penteado, visto que tanto o véu bíblico(que cobre toda a cabeça), como o lencinho usado pelas mulheres da CCB(que cobre apenas o cabelo) invalidariam essas orientações?
7. Paulo ao escrever II Coríntios menciona pela segunda vez o véu material, sua primeira menção foi na última parte do verso 15 de I Coríntios 11, e a segunda está em II Coríntios 3:13-18.Todo o véu foi tirado do cristianismo. Quando Jesus morreu na Cruz, o véu que separava o Santo dos Santos e impedia as pessoas de olharem para aquilo que representava a presença de Deus, rasgou-se de alto a baixo, acabando com aquela barreira. Agora a presença de Deus está aberta a todos, indistintamente. Por outro lado, falando aos mesmos cristãos de Corinto, Paulo comenta que Moisés, quando veio do Monte Sinai, seu rosto brilhava e tiveram que cobri-lo com um véu. E depois diz: "Mas, quando se converterem ao Senhor, então o véu se tirará. Ora o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor aí há liberdade. Mas todos nós, com cara descoberta, refletindo como um espelho a gloria do Senhor, somos transformados de gloria em gloria na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor" (2 Cor. 3.7-18). Se ele fala: "Todos nós com cara descoberta", fala da mulher também.
B. SE PAULO TIVESSE IMPONDO O USO VÉU A CCB ESTARIA OBEDECENDO I CORÍNTIOS 11?
Supondo que a interpretação distorcida da CCB estivesse correta, será que essa seita obedeceria as implicações de tal interpretação? A resposta é não! Primeiro, porque então deveria-se adotar realmente o uso do véu, e não de um lenço sobre o cabelo. E também, o uso desse véu deveria acontecer publicamente, nas ruas e nos mais diversos ambientes sociais. Ainda que se argumente que deveria-se usar o véu apenas quando a mulher "profetizar" ou "orar", isso confirmaria, e não anularia o uso público do véu, visto que:
1. os cristãos primitivos não construíam catedrais ou templos para adorar a Deus;
2. de acordo com o ensino de Jesus, a adoração e culto cristão é independente de local, pois trata-se de uma adoração "em espírito e em verdade"(João 4:21-24);
3. "profetizar" é o mesmo que "falar por Deus", e isso não acontece apenas entre "quatro paredes", aliás Paulo ensinou que devíamos pregar "a tempo e fora de tempo"(II Timóteo 4:2).Os cristãos primitivos servindo de exemplo para nós "falavam por Deus" publicamente (Atos 1:8, 8:1, 16:13;etc), e isso acontecia até mesmo entre aqueles que tiveram um encontro com o Mestre Jesus em seu viver terreno (Marcos 16:15;João 4:28-30,41-42, 20:17-18);
4. "orar" é "falar com Deus", e isso também não acontece apenas dentro de um templo, mas "em todo tempo" (Efésios 6:18) e "sem cessar" (I Tessalonicenses 5:17);
5. se é indecente(imoral) não usar o véu material enquanto entre "quatro paredes", seria decente não usá-lo publicamente no meio dos pecadores, onde o testemunho cristão deve ser ainda maior?!
Entendemos como perigoso e nocivo à vida espiritual, leis como estas da CCB que exigem dos adeptos atitudes exteriores, porque, por trás da promulgação de tais leis, e no espírito de quem as cumpre, está sempre presente a intenção de se justificar a pessoa por meio de obras. Quando se exclui do convívio a mulher que não usa o lenço, crendo que a mulher cristã só está em obediência as determinações divinas quando utiliza tal ornamento, pode-se estar admitindo que a virtude cristã está no uso do lenço.
Nós sabemos, e nisso nos confortamos, que nós somos justificados diante de Deus somente pela fé em Cristo, de graça, e nesta fé, produziremos frutos que, entre outras coisas, consistem em moderação no vestir de forma que não escandalize a sociedade em que estamos inseridos, e não a regras impostas por interpretações humanas fraudulentas.
Finalizando, a advertência de Pedro cabe bem ao adeptos da CCB:
"E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada. Falando disto, como em todas as epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem e igualmente as outras Escrituras,para sua própria perdição." II Pedro 3:15-16

1.3.Qual a mensagem de I Coríntios 11?
Se Paulo não tinha a intenção de ordenar para as mulheres o uso de um véu material, qual a mensagem de I Coríntios 11:1-16?
A.EVANGELHO E CULTURA
Paulo está mostrando de forma muito clara em I Coríntios 11 que o cristãos devem ser sensíveis as distinções sociais em termos de costumes da época, para que de nenhuma maneira venha ofender o evangelho, ou cause tropeço para a pregação do mesmo(II Coríntios 6:3; I Coríntios 9:12, 10:32). Chegamos a essa conclusão com base no próprio texto, levando em consideração o contexto histórico e outros textos das Escrituras. Temos então em pauta o costume do comprimento do cabelo, de modo que temos:
"se uma mulher não estiver coberta[de cabelos compridos] então deixem que permaneça tosada...mas, considerando que é vergonhoso para um mulher ficar tosada ou rapada, que ela se cubra [isto é, deixe o cabelo crescer novamente]" (verso 6)
A referência de Paulo a tosquia então indica simplesmente que se as mulheres desejam ser iguais aos homens, devem ir até o fim e ficarem calvas. Se não acham que isto é aceitável, então fiquem cobertas(de cabelos compridos) como as mulheres são normalmente, e principalmente tendo em vista a conveniência social na sociedade de Corinto(verso 13).
B.DIFERENÇAS DE COSTUMES:JUDEUS E GREGOS
Quando Paulo apela para a "natureza" no verso 14, tinha em vista a natureza cultural em que os coríntios estavam inseridos, isso porque o costume entre os orientais eram diferenciados. Enquanto que para os judeus não havia nenhuma implicação moral para os homens trazerem o cabelo comprido, visto que até mesmo foi instituído por Deus o voto de nazireu(consagração para o serviço a Deus), onde os homens não passavam navalha na cabeça(Veja Números 6:1-8; Juízes 16:17-19; II Samuel 14:25-26; Atos 18:18, 21:24), para os homens em Corinto isso não era visto com bons olhos (verso 14). Também quando Paulo anteriormente argumentava que o "homem tendo a cabeça coberta, desonra a sua própria cabeça"(verso 4) não tinha em vista nenhum adorno, lenço ou véu material , visto que tais coisas foram utilizadas por homens judeus(Levítico 16:4; II Coríntios 3:13), o que nos indica novamente o comprimento do cabelo na sociedade de Corinto. Além disso o "rapar" do cabelo das judias, não era visto como ato indecente, já que as mesmas que passassem pela cerimônia da purificação da lepra ou fizessem voto de nazireu rapavam (Levítico 13:29-33;Números 6:1-2,9,18-19). Se tais atos na comunidade de Israel fossem pecaminosos e indecentes, jamais teriam sido instituídos pelo próprio Deus. Paulo está dando forte apoio as diferenças de costumes entre homens e mulheres. Paulo no verso 14 parecia estar dizendo: "Eu expliquei para vocês porque seguir este costume é aceitável e desejável, mas de qualquer modo vocês não sentem que não seguí-lo é degradante?O cabelo da mulher é sua glória, torná-la igual ao homem não lhe acrescenta nenhuma honra". Isso prova novamente o fato de que Paulo nos ensina a questão de sermos sensíveis as distinções sociais. Os coríntios estavam preocupados que, seguindo as convenções(cabelo comprido para a mulher e curto para os homens), as mulheres negassem a igualdade de status com os homens que agora tinham em Cristo (Gálatas 3:28). E isso é muito provável pelo seguinte:
a.Faz mais sentido o louvor de Paulo no verso 2, e também torna mais fácil interpretar a palavra tradição ou preceito da maneira em que ela foi usada em outras passagens do Novo Testamento.Essa tradição provavelmente se referia a igualdade entre homens e mulheres na obra de Deus.
b.a palavra "subordinação" e expressões semelhantes não aparecem na passagem.
c.acaba com o problema de Paulo usar princípios teológicos (criação e redenção) para apoiar a manutenção de uma convenção particular e cultural.
d.invalida a acusação de que Paulo está usando lógica falha e exegese errônea em Gênesis, visto que o trecho da criação citado trata de distinção e não de subordinação. A palavra "cabeça" (grego "kephale") tem o sentido de "origem".
e.encaixa-se melhor na opinião de Paulo em outras passagens sobre a liberdade em Cristo. Se a subordinação das mulheres aos homens deve ser enfatizada mesmo nos cultos, torna-se difícil perceber como a expressão "nem homem nem mulher" pode ter sentido real.
f.fornece um desenvolvimento através de toda passagem e evita que pareça uma discussão de alguma filosofia grega (escola filosófica)
g.adapta-se mais facilmente ao contexto do capítulo 10:23-33.
Assim Paulo está destacando neste capítulo a plena igualdade das mulheres na obra de Deus. Todavia deixa entendido que essa igualdade não implica em uma necessidade de uma falsa identidade entre os sexos, e que não há motivos, portanto, para abandonar as convenções sociais. A mulher em Corinto não precisava recear em manter as conveniências sociais gregas (cabelo comprido) com medo de assim estar deixando de ter igualdade com os homens na obra de Deus.


1.4 Resposta a objeção da CCB
Quando lhes falta o argumento para provarem que as mulheres devem usar um pedaço de pano durante o culto, os adeptos da CCB dizem que "se o véu que Paulo menciona é o cabelo, então quer dizer que as mulheres cristãs se igualam a algumas não cristãs que usam o cabelo comprido." Tal argumento é de uma pobreza de raciocínio tremenda, própria de "papagaios que repetem o que ouvem de seus líderes sem nenhuma reflexão". Veja que se fosse assim, então os homens não deveriam usar cabelos curtos visto que a maioria dos mundanos também usam, em contrapartida supondo que Paulo como quer a CCB tenha imposto o uso de um véu artificial, ou melhor, de um lenço sobre o cabelo que é o caso dela, isso não evitaria de "igualar as mulheres cristãs as não cristãs" visto que mulheres de religiões não cristãs e até mesmo não religiosas usam o véu e também lenços sobre o cabelo, veja por exemplo:as mulheres da Igreja Católica Ortodoxa, as Irmãs de Maria da Igreja Católica Romana, as adeptas dos vários ramos do Islamismo, ou quem sabe as holandesas típicas, ou as camponesas que quando trabalham na lavoura usam lenço para evitar as queimaduras devido ao sol excessivo.


1.5 Semelhanças entre o Catolicismo Romano e a Congregação Cristã no Brasil

O uso equivocado do lenço como um "véu" é apenas uma das semelhanças entre a CCB e os Católicos. Veja no gráfico abaixo outras doutrinas e práticas Católicas assimiladas pela CCB:
 

CATOLICISMO ROMANO

CONGREGAÇÃO CRISTÃ

Rezas feitas de joelho no templo Orações feitas de joelhos no templo
Catolicismo Romano como "única igreja verdadeira" Congregação Cristã como "única igreja verdadeira"
ataque as denominações cristãs ataque as denominações cristãs
crença no batismo salvífico(sacramentalismo) crença no batismo salvífico(sacramentalismo
para tomar a comunhão os católicos vão a frente do altar para tomar a "santa ceia" os adeptos da CCB vão a frente do púlpito
a palavra do Papa é incontestável, ele é visto como um porta-voz do Espírito a palavra do ancião é incontestável, ele é visto como um porta-voz do Espírito
somente o Papa e os bispos por eles ordenados interpretam corretamente a Bíblia somente os anciãos e cooperadores interpretam a Bíblia de maneira correta
os fiéis usam e abusam de bebidas alcoólicas os fiéis usam e abusam de bebidas alcoólicas
sacramentalizam os templos sacramentalizam os templos
suas doutrinas são dogmas suas doutrinas são dogmas
na idade Média mantinham que o estudo bíblico era perigoso, proibindo-o, e advertia que o mesmo levava a loucura. mantém que o estudo bíblico é perigoso, proibindo-o, e adverte que o mesmo pode levar a loucura.
tem além da Bíblia, a Tradição e o Magistério da Igreja como fontes de autoridade tem além da Bíblia, o manual de doutrinas e ensinamentos orais, como fontes de autoridade
quando recebem alguma graça de algum santo, dão uma contribuição em dinheiro possuem a chamada "oferta de voto" que é uma contribuição em dinheiro feita por alguma graça recebida
possuem ministério incompleto possuem ministério incompleto
da sede no Vaticano saem as diretrizes e decisões doutrinárias. da sede no Brás saem as diretrizes e decisões doutrinárias.




Enquanto a Ordem Católica das Irmãs de Maria em 1854(surgimento do dogma da imaculada conceição de Maria) optaram pelo uso de um lenço sobre o cabelo ( erroneamente chamado de véu) para fazerem distinção entre elas e as demais ordens da Igreja Romana, a CCB faz desse mesmo objeto que surgiu em meio a idolatria católica um distintivo que a separa das denominações cristãs.

 

Continua...

x fechar