Make your own free website on Tripod.com

Respostas aos argumentos de Dennis Allan e Gary Fisher sobre o batismo nas águas


É incrível como existam grupos religiosos que afirmam serem os "únicos cristãos" e no entanto negam uma das principais e essenciais doutrinas bíblicas - a justificação unicamente pela fé em Jesus Cristo. Entre esses pretensos cristãos, estão os adeptos da Igreja de Cristo no Missouri, da qual fazem parte os escritores "Dennis Allan e Gary Fisher". Chamamos esse grupo de a "Igreja de Cristo no Missouri", por afirmarem não serem uma denominação religiosa, e mesmo assim estarem ligados a Igreja de Cristo no Missouri(E.U.A). No Brasil este grupo costuma se reunir em escolas, hotéis e salões para poderem propagar suas doutrinas. Costumam abordar os evangélicos, já que esses se interessam por assuntos bíblicos. Publicam ainda veículos para fazerem proselitismo, os principais títulos são: "Andado com Deus", e o boletim mensal "O que está escrito". A principal ênfase da seita é o batismo, ou melhor a regeneração batismal, heresia propagada pelos Católicos Romanos e inúmeras seitas similares. O fanatismo do grupo é tão forte em cima desse assunto, que usam de sutis argumentos em suas literaturas para conseguirem convencer de qualquer forma os incautos. Neste artigos responderemos esses argumentos usando a espada afiada da Palavra de Deus, nossa única regra de fé e prática.


ARGUMENTO 1: O LADRÃO NA CRUZ
Nos argumentos abaixo Dennis e Gary tentam a todo custo argumentar que o fato do ladrão na cruz não ter sido batizado e ter sido salvo não implica em concluir que o batismo nas águas não salva.
1."Se pudéssemos provar que o ladrão nunca tinha sido batizado, não justificaria nossa recusa do batismo. Uma vez que o ladrão estava na cruz, ele não poderia ser batizado. Mas nós não estamos numa cruz e assim podemos ser batizados."
Resposta: Este argumento é muito infantil. O fato não é que o ladrão estava na cruz ou não, mas que a salvação fica patente quando Jesus declara que o ladrão está salvo sem a necessidade do batismo. Cornélio não estava pendurado em uma cruz, e no entanto foi salvo antes de receber o batismo nas águas (Atos 10:47 compare com Atos 15:7-11).


2.A verdade, contudo, é que o ladrão poderia ter sido batizado. De fato, a evidência favorece essa conclusão. João batista batizou muitas pessoas com o batismo de arrependimento preparando o caminho para Jesus."
Resposta: O desespero em face da evidencia bíblica de que o batismo não salva é tão grande que leva os adeptos dessa seita até mesmo a admitir que o ladrão teria sido batizado por João Batista. Isso é um verdadeiro absurdo, então quer dizer que se como querem eles, o batismo salva,e o ladrão foi batizado, Jesus equivocou-se em dar a salvação ao ladrão por que este já era salvo?! Em Atos 19:3-5 vemos que o batismo de João não era válido para o cristianismo, visto que este apontava apenas para o arrependimento, e não tratava de uma experiência de quem já tinha sido salvo por Jesus. Além disso dificilmente o ladrão teria sido batizado por João visto que tal batismo era símbolo de arrependimento e mudança de vida, e o ladrão estava crucificado, resultado de uma condenação justa por seus atos malignos, demonstrando assim o contrário daquilo que apontava o batismo de João. Observe que no inicio este ladrão fazia coro com seu companheiro em criticar a Jesus (Mateus 27:42-44; Marcos 15:31-32), e isso com certeza não é fruto de arrependimento e muito menos de uma mudança de vida.


3.Não importa se o ladrão tinha sido batizado ou não. Ele viveu antes do batismo da grande comissão, o batismo na morte e ressurreição de Cristo....Mas depois que ele morreu, ninguém poderia ser salvo sem acreditar tanto na ressurreição de Jesus como também ser batizado.
Resposta: Veja que disparatada - se não importa se o ladrão era batizado ou não, porque então argumentar anteriormente que ele provavelmente fora batizado?! Dizer que a regeneração batismal passou a vigorar como fonte da salvação após a morte de Jesus é desconhecer a Bíblia, mesmo porque a salvação tanto no Velho como no Novo, antes da morte como após a morte de Jesus é unicamente pela fé. A diferença é que os santos do Velho Testamento olhavam para o futuro sacrifício, e os do Novo para o passado(Leia todo o capítulo 4 de Romanos). Cristo era Cordeiro morto antes da fundação do mundo, portanto a base da salvação diante de Deus mesmo antes da crucificação era a fé (I Pedro 1:18-20; Apocalipse 13:8). A salvação não mudou após a morte de Jesus, ela continua sendo pela fé, e não por batismo mais fé. Admitir que a salvação mudou de apenas fé, para fé mais batismo seria regredir, porque se um ritual é veiculo de salvação no Novo Testamento, no Velho isso não acontecia apesar de estar em volto em diversos rituais. A própria seita em contradição, porque afirma na mensagem "O que a Bíblia diz?" -"O efeito purificador do sangue de Jesus não é limitado aos pecados cometidos posteriormente. A morte dele interviu "para remissão das transgressões que havia sob a primeira aliança"(Hebreus 9:15)". Será então que no Antigo testamento a purificação dos pecados era pelo sangue, e no Novo pelo sangue mais batismo?!


4.Em vez de ressaltar o que Jesus disse ao ladrão, precisamos considerar o que Jesus nos diz: "Quem crer e for batizado será salvo;quem, porém, não crer será condenado."(Marcos 16:16)
Refutação: Então quer dizer que aquilo que Jesus disse para o ladrão não precisava ser registrado para nosso ensino? Isso é um absurdo visto que tudo que antes foi escrito para nosso ensino foi escrito(Romanos 15:4; I Timóteo 3:16; II Pedro 3:15-16). Se formos raciocinar de acordo com os adeptos dessa seita então Marcos 16:16 não tem valia para nós, visto que foi endereçado originalmente aos onze discípulos (Veja Marcos 16:14). No entanto sabemos que tanto no caso do ladrão da cruz como no dos onze discípulos, o Espírito Santo inspirou os escritores visando os cristãos da atualidade também. Ademais Marcos 16:16 não prova a regeneração batismal visto que a condenação que é algo diante de Deus está ligada somente ao crer, sem a menção do batismo. Se a Bíblia mencionasse : "porém, quem não crer e for batizado será condenado" estaria em plena contradição com si própria, visto que diante de Deus ninguém pode ser justificado pelas obras (Romanos 4:2-3,6-8; Atos 15:9).


ARGUMENTO 2: O BATISMO COMO OBRA PARA SALVAÇÃO
5.Efésios 2:8,9 diz que a salvação vem pela graça, mediante a fé, e não de obras. Mas o batismo não é o tipo de obra sob consideração nesse trecho. As obras do versículo 9 não são obras de graça (as obras de Deus para efetuar a nossa salvação), nem as obras de fé (a resposta do homem à graça de Deus).
Refutação: Essa é uma nova modalidade de heresia ensinada pelos adeptos dessa seita. Dizer que o batismo é um outro tipo de obra, e que esta é para a salvação, é mascarar o engano religioso com roupagem cristã! Romanos 4:4-5 destrói completamente essa heresia, quando afirma - "Ora, àquele que faz qualquer obra, não lhe é imputado o galardão segundo a graça, mas segundo a dívida. Mas aquele que não pratica, porém crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça." O batismo é obra de justiça, conforme Jesus disse em Mateus 3:14-15, e em Tito 3:5-6, Paulo declara enfaticamente como já fizera em Efésios 2:8,9 - "não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas, segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo, nosso Salvador." Essa interpretação confusa dos adeptos dessa seita vem do fato de negarem a doutrina bíblica do pecado original e de admitirem que o Espírito Santo é recebido no momento do batismo nas águas. Então o indivíduo pode colaborar com a salvação(obras para a salvação), visto que o Espírito Santo só se recebe após a imersão nas águas. Isso é totalmente antibíblico visto que no texto de Efésios 2:1-3, diz que os humanos estão mortos espiritualmente, dependendo assim da misericórdia e atuar espiritual do Senhor(Efésios 2:4-5). Isso é graça, porque "se é pela graça, já não é pelas obras; de outra maneira, a graça já não é graça."(Romanos 11:6)


6.A fé inclui tudo o que o homem faz para receber o dom da salvação(fé,arrependimento, batismo,etc.).
Refutação: Perceba nessa citação a expressão "o homem faz para receber o dom da salvação", vemos nele uma completa destituição da graça. Paulo contraditando essa afirmação, disse em Tito 3:5 - "não pelas obras de justiça que houvéssemos feito". "Fé" ao contrário do que diz essa seita, é receber tudo aquilo que Deus fez e nós não podíamos fazer, a redenção eterna!(João 1:12)

7.O lavar regenerador não é obra de justiça, mas um simples ato de obediência que Deus mandou para nosso perdão."
Refutação: Jesus disse que o batismo é obra de justiça(Mateus 3:15), os adeptos dessa seita dizem que o batismo não é obra de justiça. Com quem ficar? É claro que com Jesus! Além disso associar o batismo como um meio de perdão de pecados, cheira a paganismo, e não cristianismo. Somente o sangue de Jesus nos purifica de todo pecado(I João 1:9; Efésios 1:7; Apocalipse 1:5; Mateus 26:28). Deus não se contradita a si mesmo, Ele não mandou o batismo nas águas para purificar os nossos pecados, mas o Seu Filho que derramou o sangue que é eficaz sem a ajuda de nenhum subterfúgio para purificar-nos.


8.A eficácia do batismo não está na obra do homem mas no poder de Deus. Colossenses 2:12 deixa bem claro que o batismo tem valor porque é o meio que Deus usa para remover o nosso pecado."
Refutação: Em Colossenses 2:12 Paulo fala sobre a vivificação feita por Deus, que também é mencionada em Efésios 2:8-9. Tal vivificação é algo espiritual, e não natural como nas águas do batismo, isso é inferido no próprio contexto do capítulo - "no qual também estais circuncidados com a circuncisão não feita por mão no despojo da carne: a circuncisão de Cristo"(v.11). A circuncisão era algo natural, físico, e não interior ou espiritual. Então o mesmo não pode se referir ao batismo nas águas, que é apenas símbolo de um batismo espiritual, que é dado a todo que recebe Jesus como seu Salvador, e é sobre este último batismo que Paulo está falando em Colossenses 2:12. Tanto é assim, que em Romanos 2:29 ele diz que a circuncisão de Cristo é a do coração, no espírito, ou seja, algo interior. Somente um batismo interior afeta o espírito humano, pois "todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo"(I Coríntios 12:12), "e o que se ajunta com o Senhor é um mesmo espírito"(I Coríntios 6:17). Dizer que o batismo assim como a ceia são símbolos de realidades espirituais é uma coisa, agora sacramentalizarmos os dois, e dizer que eles conferem graça ou perdão, é paganismo.


9.Alguns dizem que a água em João 3:5 significa a palavra. Mas isso é arbitrário. Podemos dizer que água significa qualquer coisa-iogurte,por exemplo-e ensinar que as pessoas devem ser batizadas no iogurte para serem salvas!
Refutação: "Água" em João 3:5 queira ou não queira admitir é a Palavra de Deus. Isto está muito claro quando comparamos com outros textos da Bíblia(Veja por exemplo: Efésios 5:26, 1:13; I Pedro 1:23; Tiago 1:18,21).Em João 4, um capítulo após a conversa de Jesus com Nicodemos, Jesus usa novamente a expressão "água" na conversa com a Samaritana, e usa com um significado espiritual, denotando sua Palavra vivificante (João 4:13-15), isso porque a Palavra do Senhor é espírito e vida(João 6:63). Estão laborando em erro os adeptos dessa seita quando afirmam que "água" sendo tomada como a Palavra, é uma interpretação arbitrária. Como vimos, a própria Bíblia dá essa interpretação, portanto não é arbitrária. Agora dizer que podemos interpretar a expressão "água" de qualquer jeito, até mesmo sendo um iogurte, ou batismo nas águas, é uma visão muito infantil e irresponsável.


10.A fé é descrita como obra(João 6:29)
Refutação: "Fé" e "obras" são duas coisas distintas. "Fé" é receber, e "obras" é fazer. "Fé" é receber algo de Deus, e "obras" é dar algo para Deus. "Fé" é confiar no Senhor, e "obras" é trabalhar para o Senhor. "Fé" é Deus procurando alcançar o homem, e "obras" é o homem procurando alcançar a Deus. Paulo tendo em vista essa grande diferença declarou em Gálatas 3:2 - "Só quisera saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei, ou pela pregação da fé?" Em Romanos 4:4-5 ele afirma enfaticamente -"Ora, aquele que faz qualquer obra, não lhe é imputado o galardão segundo a graça, mas segundo a dívida. Mas aquele que não pratica, porém crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça." Usar João 6:29 para confundir "obras" com "fé", é desconhecer completamente o contexto e a mensagem de Jesus sobre a salvação em João. Em João 20:31 vemos que o objetivo desse evangelho ser escrito era para que "creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome." O homem, por ter caído e ser corrupto, por seus pensamentos serem tortuosos e por estar a sua carne na esfera da lei, pensa que deve fazer algo antes que possa ser salvo. O Novo Testamento diz-nos claramente, pelo menos cento e quinze vezes, que quando o homem crê, ele é salvo, tem a vida eterna e é justificado. Em João 6:29 o Senhor respondeu a pergunta da multidão partindo da mentalidade caída e cheia de obras deles. Jesus falou que deviam "trabalhar", e eles perguntaram como deveriam trabalhar, que tarefas deveriam desempenhar para terem o alimento? Jesus fala que a exigência não é obra em si, mas é a fé naquele que Deus enviou. Não é o fazer que vai determinar a salvação, mas a fé em Cristo. O conceito do homem caído é o de que sempre precisa fazer alguma coisa e trabalhar para Deus. O conceito do Senhor, no que diz respeito ao homem com relação a Deus, é de que o homem deve crer Nele, isto é, recebê-Lo.


Conclusão:
Como dar ouvidos para um grupo que propaga uma doutrina paganista, e que destoa completamente do verdadeiro cristianismo? Façamos bem em guardar a orientação do apóstolo Pedro, rejeitando todos os ensinos das trevas dos falsos profetas e doutores - "como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição..."(II Pedro 2:1
)

 

x fechar